domingo, 24 de agosto de 2008

Coca zero detected


coca 

Tenho que parar de almoçar com a Silveira e isso é um fato. O problema é que os almoços com ela são divertidos e muito animados, sem contar que ela tem um bom gosto para escolher restaurantes e é excelente companhia.

Da última vez fomos no La Sagrada e desenvolvemos a teoria do "Coca zero detected", que mostra o grau de "comprometimento" de um ser humano com a coisa. No começo ela não levou muita fé de que funcionava, mas depois de minha convincente argumentação consegui convece-la de que é quase impossivel um ser humano que se preze ser pego pelo "Coca zero detected".

Nada de homofobias ou idiotices do gênero, mas a verdade é que o mundo está mudando e muito, mesmo assim, certas coisas permanecem as mesmas e tradições são tradições em qualquer parte do mundo. Estavamos lá, como todos os outros pobres mortais que tem bom gosto e aquele dia resolveram almoçar no La Sagrada, esperando pela nossa mesa e as pessoas, instaladas no bar, consumiam suas bebidas preferidas, para passar o tempo.

Entre goles de champagne, prosseco, cerveja e outros, a gerente indagou a três "sujeitos", o que eles gostariam de beber e depois de se entreolharem, como que se pedindo mutua aprovação, veio o pedido: "Três cocas zero!"

É batata, não chips, mas é batata, um ser humano de verdade não cai nessa. A argumentação de que poderiam ser esportistas ou amantes inverterados da boa forma, cai por agua abaixo, pois pessoas dessa categoria, não bebem refrigerante, seja ele light, diet ou afins. Definitivamente, Coca zero, não é bebida de seres humanos de verdade e nunca vai ser. Um ser humano de verdade, vai "detonar" uma Coca normal de 2,5 litros, mas jamais vai pedir uma Coca zero no bar.

Nada contra os que tomam Coca zero, apenas não se engane e nem caia no conto do vigário, pois com certeza, em pouco tempo, vai ter de dividir seus pertences com esse ser. Portanto, da próxima vez que sair, em especial a caça, se você for mulher é claro, ligue o seu "Coca zero detected" e boa sorte.

Não querendo arriscar e preferindo ir na boa, na verdade no bom, emails para mim.

Imagem do post: Google

Postagem mais antiga Página inicial